Transal - Transportadora Salvan Ltda

Login: Senha:

Acessibilidade  |  RSS

(48) 3411-1000
transal@transaltransportes.com.br

Viaje Bem

A Transal disponibiliza à você dicas para fazer uma viagem com segurança e tranqüilidade.


Manutenção preventiva no seu carro

Dados da Polícia Rodoviária Federal apontam que cerca de 5% dos acidentes de carro nas estradas brasileiras acontecem por falha mecânica do veículo. Durante o natal, só na BR-040 - no trecho que liga Juiz de Fora à Barbacena - circularam 20 mil carros por dia.

Portanto, todo cuidado é pouco não só na hora de dirigir. Claro que usar o cinto de segurança e redobrar a atenção na estrada é importante. Mas antes, o motorista deve ficar atento a um detalhe que pode salvar vidas: a revisão do veículo.
Revisar por quê?

Para o proprietário de oficina mecânica, Fabiano Barbosa Altomar, a revisão é fundamental. Ele destaca que a maioria das pessoas só leva o veículo para a oficina quando ele quebra. \"Manutenção preventiva não faz parte da cultura do brasileiro. Aqui na oficina só 15% das revisões são desse tipo\".

Ele ressalta alguns pontos que não podem ficar sem uma checagem antes de qualquer viagem. \"Quem vai pegar a estrada deve olhar o motor, o freio e a suspensão\". Para ele, a revisão é válida até para quem não tem dinheiro: \"Mesmo sem poder consertar tudo de uma vez, o motorista viaja com mais cuidado, sabendo onde não pode abusar do carro\".

Nessa época do ano, os pedidos de revisão aumentam, mas ainda assim continuam poucos se comparados com as manutenções por defeitos. O mecânico, Wellington de Paula Cardoso, explica que a prevenção deve ser feita de seis em seis meses ou de 30 mil em 30 mil quilômetros. \"Muitas vezes prevenir fica mais barato do que remediar\". Ele explica que uma revisão em um veículo sem trabalho preventivo sai por até R$ 400. Já o trabalho em um automóvel que é periodicamente revisado sai por até R$ 200.

Principais focos

Na hora da revisão toda a atenção deve ser para os componentes que garantem a segurança do carro. Os freios devem ser checados, especialmente as pastilhas que garantem a eficiência da freada. Outra parte que deve ser olhada atentamente é a suspensão. De acordo com Fabiano, \"essas são as partes que mantém o carro no chão, que garantem a segurança da viagem. Se a pessoa não tiver dinheiro para olhar o motor, deve pelo menos checar a suspensão e os freios\".

Como a segurança é o principal fator de uma revisão, os equipamentos de segurança não podem ser esquecidos. \"O macaco, o triângulo e o step, que deve estar cheio, também devem ser verificados\", destaca Wellington. A próxima etapa é conferir o óleo. \"Se estiver com nível baixo ou gasto, pode comprometer todo o funcionamento do carro\", alerta o mecânico. O nível da água também deve estar em dia, pois \"se a água for pouca, o carro pode ferver e dar problema no motor\", completa.

Dicas

Veja o que você pode fazer em casa para ter uma viagem mais segura:

  • A cada 500 quilômetros rodados o motorista deve verificar o nível do óleo do motor, através da vareta de controle. Para isso o carro deve estar em local plano e com o motor quente.
  • O cinto de segurança não pode ficar sobre o pescoço. A parte superior do encosto de cabeça deve ficar na altura dos olhos do ocupante do banco, para que ele ser protegido contra lesões na coluna cervical e no pescoço em uma possível batida.
  • O pisca-alerta deve ser ligado somente quando o veículo estiver parado em condições de emergência
  • Se o carro deslizar sobre água (aquaplanar) o motorista não deve, em hipótese alguma, frear e nem pisar na embreagem. Deve soltar o acelerador e deixar o atrito com a água reduzir a velocidade até que as rodas tenham contato com o piso.
  • As crianças devem ficar sempre no banco traseiro. As com idade de até 4 anos devem ser transportadas em cadeiras especiais, com cintos próprios. Dos quatro aos 10 anos é recomendado transportá-las sobre uma almofada para o cinto não encostar no pescoço. Bebês, mesmo recém-nascidos, não devem viajar no colo da mãe, pois em caso de colisão a criança pode ser usada como amortecedor no impacto com o painel ou banco da frente. O ideal é transportá-las em cadeirinhas fixadas de costas do sentido do carro.
  • O motorista também precisa estar descansado e com a saúde em dia. O cansaço diminui os reflexos e aumenta a chance de acidentes. O motorista não deve beber ou tomar medicamento antes de viajar. É importante, também, usar roupas adequadas às condições climáticas.
  • E, se mesmo assim você ainda não se animou a fazer uma revisão no seu carro, lembre-se que falta de equipamentos de segurança ou péssimo estado de conservação do veículo dão multa. O motorista descuidado pode ficar com menos R$ 161 para gastar na viagem, além de perder cinco pontos na carteira de motorista.


Fonte: Transal Transportes



Voltar